Ao olharmos para as ruas das cidades vemos cada vez mais bicicletas, todos os tipos de bicicletas. O ciclismo como um modo de transporte é saudável tanto para o indivíduo quanto para o planeta e vem crescendo cada vez mais. Esses aspectos positivos nunca sairão de moda. E agora é um ótimo momento para escolher a melhor bicicleta como uma maneira de mudar seu estilo de vida e se apaixonar pela experiencia de pedalar.

Se você pretende passear, ou pedalar até o seu trabalho ou à aula em vez de dirigir, então você precisa de uma bicicleta urbana que garanta uma viagem agradável e que, de maneira confiável, segura e rápida, leve você aonde você precisa ir, sem paradas desnecessárias.

Mas com tantos tipo de bicicleta, Como escolher minha bike?

As Beach Bikes e Mountain Bikes podem fazer você se sentir mais seguro, porque elas tendem a ser bikes gigantes que podem passar por cima de qualquer coisa (o que por si só é bem divertido), mas elas não são boas para rodar pela cidade. Porque não foram projetadas para isso. As bicicletas urbanas são geralmente uma escolha melhor. Vamos abordar aqui aspectos importantes para ajudar você a comprar bike certa.

A geometria

É ela que define de maneira mais contundente a finalidade de uma bicicleta. Um quadro de Mountain Bike foi projetado para um pedal fora de estrada, onde frequentemente a posição de pilotagem é alterada em função das características do relevo. A capacidade de manobra também deve ser alta. Uma Beach Bike é desenhada para um pedal relaxado com pouca utilização dos freios e uma mínima alteração na posição de pilotagem. Geralmente possuem baixíssima capacidade de manobra. Uma Bike Urbana por sua vez, tem sua geometria pensada para o uso na cidade, com uma posição de pilotagem confortável e ágil. O tamanho correto do quadro é fundamental para escolha certa da bike. Temos um post que trata desse ponto. Clique aqui 

O material do quadro

O material mais indicado para as bikes urbanas é o aço, preferencialmente em ligas especiais, como o Cromoly por exemplo. Este material possui propriedades mecânicas que permitem a construção de quadros mais leves e resistentes. Duram a vida toda. E eles tem uma característica importante: maior conforto na pedalada, pela combinação de alta resistência com baixa rigidez. Isto é possível porque a resistência mecânica do Cromoly é 80% superior à do alumínio aeronáutico. Este último mais rígido e por isso menos confortável e suscetível a falhas por fadiga.

Suspensões

Uma boa bike é construída para ser leve e eficiente. Eficiência significa energia e isso significa que a bicicleta exige menos energia de você, o ciclista. Quando um bom quadro é projetado, o material e a geometria levam em conta não só o estilo. Um bom quadro deve ser capaz de absorver as imperfeições do terreno sem que isso comprometa a transferência de sua energia para a roda traseira. Em outras palavras, um bom quadro para uso urbano, dispensa o uso de suspensões na maioria dos casos.

Suspensões dianteiras podem tornar a Bike Urbana mais pesada e pouco eficaz. Suspensões leves e eficientes, são invariavelmente muito caras e nem sempre trazem uma boa relação de custo x benefício para o ciclista. Um garfo rígido montado em um quadro bem projetado, quase sempre é a melhor opção.

Rodas e pneus

Nas Bikes Urbanas o tamanho das rodas normalmente é de 700mm nas versões para adultos, de 24” para a linha infantil e de 20” para as bicicletas dobráveis. A escolha do tamanho da roda geralmente está ligada a aparência e ao estilo de bike que cada ciclista pretende usar.

As bikes Urbanas com o tamanho de roda 700 usam os pneus um pouco mais estreitos. Não tanto quanto os de bike speed, mas relativamente estreitos para uso em cidades.

Um pneu mais estreito montado em um aro de tamanho 700 torna o conjunto mais leve e deixa a bicicleta mais rápida, com um desempenho melhor, fazendo a pedalada render mais. E ainda proporciona um visual mais leve e esguio.

Câmbio

Bikes Urbanas tendem a ser de velocidade única, o que diminui a manutenção e as tornam mais simples e leves. Você também não precisa se preocupar com tantas trocas de marchas. Tudo isso facilita a pilotagem. Porém, a falta de marchas pode ser um problema para qualquer cidade com relevo irregular. E nesse caso, os câmbios com sistema IGH – Internal Gear Hubs, são sempre uma boa escolha. Eles possuem um mecanismo interno de engrenagens planetárias, e por não terem engrenagens expostas, não requerem lubrificação ou ajustes frequentes. E esse câmbio tem uma vantagem enorme que faz toda a diferença no ambiente urbano, quando comparado ao câmbio convencional. Você pode parar no semáforo e trocar quantas marchas quiser com a bike parada e sair pedalando. A mudança é imediata e não requer aquele tempo em movimento até que a corrente salte para a próxima catraca, comum nos câmbios convencionais.

Transmissão

ara uma Bike Urbana de velocidade única, ou de pinhão fixo, a famosa Bike Fixa, a corrente ainda apresenta a melhor relação custo benefício, pois são baratas e eficientes na transmissão de energia. Mas claro, precisam ser lubrificadas com frequência e duram entre 1000 e 1500km

Já as correias são mais limpas, pois não usam lubrificação. Elas são leves, muito leves. O conjunto todo, composto de pinhão, correia e coroa, pesa um pouco mais da metade de uma corrente sozinha. São produzidas com um composto de cordonéis de carbono, revestidos com poliuretano, que garante durabilidade de até 10.000 Km. Os dentes da correia são revestidos em Nylon reduzem o atrito para um pedal suave, silencioso e preciso.

Esse sistema, quando combinado à um câmbios IGH proporciona uma experiência única pra quem pedala. Seja pela qualidade, do “riding” seja pela durabilidade e confiabilidade do sistema. Requisitos básicos para uma bike verdadeiramente urbana.

Freios

Para as Bikes Single Speed ou Bikes Fixas, os freios convencionais trazem o benefício da economia, simplicidade e leveza. E eles cumprem o seu papel com louvor nessas bikes.

Para bikes mais complexas, os freios a disco de acionamento hidráulico são sem dúvida a melhor opção. Eles não geram tanto calor quanto os freios convencionais e são capazes de responder com mais eficiência em situações adversas, como chuva, neve e sujeira.

Ao contrario do acionamento por cabos, o sistema hidráulico não gera fricção entre o cabo e o conduíte. O sistema é totalmente vedado, não permitindo a entrada de agua ou sujeira que poderiam entupir os conduítes, aumentando ainda mais a fricção. O acionamento é suave, com modulação precisa e poderosa.

Os sistemas a cabo por sua vez, necessitam regulagens frequentes, pois o cabo de aço acaba se expandindo com o uso e o tempo. Trocar as pastilhas é o máximo em manutenção que você deve ter em um sistema hidráulico.

Como escolher minha bike?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre esse meio de transporte e lazer fantástico, vai ser mais fácil escolher o modelo RIVA perfeito para sua nova jornada. Clique aqui para conhecer nossas urbanas.

Leave a Reply

Fale conosco
Olá, podemos ajudar?